Aquela que não tem nome

Internet

Acompanho o Fabrício Carpinejar pelo Twitter e hoje li uma resposta no seu Consultório Poético que me emocionou imensamente. Copiei apenas os trechos que mais me tocaram.

*

Uma moça pergunta:

Mas ele não pode me entregar o que eu desejava. Aquela palavra com C que todos os homens temem. Mas não era véu ou grinalda que eu queria, não era bolo, não queria uma lista de convidados, uma casa, contas conjuntas. Eu queria cumplicidade […] eu não tenho um título, não sou namorada, não sou amante, não sou amada, não sei o que sou para ele […] O amor esquece de acontecer para mim. Como faz para que ele aconteça? Essa é a minha pergunta real.

O Carpinejar responde:

Confessa que não tem título nenhum: “não sou namorada, não sou amante e não sou amada, não sei o que sou para ele”. Mas age como namorada, amante e amada, obedecendo a uma representação bem definida. Ele foi avisado do compromisso e de sua necessidade? Ou está esperando que ele transcreva seu pensamento e siga o script? De repente, o sujeito não alcança a gravidade de sua percepção. Nem deve entender o que anseia. […] Está ferida pelo amor público, por aquilo que ele não demonstrou aos outros – não tanto pela saudade da história que construíram. Não descobriu apenas que é um homem comum, o baque é que se viu tão comum quanto ele. Não a valorizou e glorificou como gostaria, como sonhou desde a infância. Sua cicatriz vem de um romantismo descumprido, de uma idealização arruinada. Ele não é o melhor para você, é o necessário no momento para desafiar suas próprias limitações e condicionamentos. Tentaria novamente. Opção cômoda é sofrer e aceitar, resignada, a separação onde não começou a união. Insistiria uma vez, duas vezes, até cansar de projetar o passado na tela de seu quarto.

*

A pergunta, na verdade, referia-se à traição do rapaz com sua amiga. Mas pelos meus olhos, o que me tocou foi esse trecho. Já passei pela mesma experiência dessa moça, aquela que não tem nome numa relação também sem definição. Na terapia, chorando eu perguntei: “Ele namorou com outras, por que não comigo?” e ouvi a resposta mais triste: “Talvez você não seja o pesinho de flor dele”. E o que a gente mais quer, quando ama, é ser a única flor na vida dessa pessoa. Ler a resposta do Carpinejar foi relembrar essa angústia de não ter identidade para aquele que mais importa. Pela primeira vez alguém entendeu isso com tamanha sensibilidade. E chorei porque sei como ninguém o que significa essa dor.

Para ler o texto completo, aqui.

Anúncios

4 comentários sobre “Aquela que não tem nome

  1. Cássia,

    Vc descreveu em perfeição o que eu sinto! Esse texto de Carpinejar sintetiza 2 anos e meio da minha vida! Eu também não fui o pesinho de flor! na verdade acho q fui espinho, pq insisti tanto , tanto, tanto, que me tornei inconveniente…continuo aqui sem nome, mas me comportando e sendo leal a alguém que realmente não é pra mim…

    Não chorei externamente…Vou levar esse texto pra minha terapia amanhã!

    Um abraço

  2. Renata, acho engraçado o quanto nos mantemos leais a alguém que não quer a mesma coisa. Em compensação, há quem não saiba o significado disso mesmo que esteja casado. Nunca me arrependi nem da minha lealdade, tampouco da minha fidelidade. Sabia o que queria e assim me mantive. E muito bacana você fazer terapia, a gente consegue ver as coisas de outro jeito, muda o ponto de vista e aprende que o importante é a mulher que somos. O que o outro quis ou não, não é problema nosso.

    Grande beijo.

  3. Esse Fabrício é demais, escreve umas coisas que achamos tão complicado de uma forma tão simples….de aceitar!

    Beijos e pétalas.

  4. Pétala, você falou bem, uma forma tão simples de aceitar! Porque talvez isso seja o mais difícil, aceitar o fato e reconhecer a nossa parcela de responsabilidade.

    Grande beijo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s