Autoajuda de longo prazo

Literatura

E assim voltamos à questão do tempo, uma obsessão deste que vos fala. Um livro vale se entra na lista ou se fica no coração e na mente dos leitores? Quem se lembrará da lista de mais vendidos em alguns anos? Quem esquecerá um conto de Jorge Luis Borges tão cedo? O bom livro exige que o editor considere seu trabalho duradouro: algo que continua quando o livro sai dos balcões de novidades das livrarias, ou perde a batalha dos bestsellers. A literatura de qualidade nasce com prazo de validade maior. Sobrevive por mais tempo, mesmo nos dias de hoje, em que há uma superprodução editorial que leva algumas livrarias a descartar os chamados longsellers. […]

Por que há tanta gente que vota em partidos e candidatos comprometidos com políticas sociais avançadas mas age preconceituosamente com relação a leitores que ainda não apreciam o que chamamos de boa literatura? […]

Se hoje sabemos que não é correto julgar as pessoas pela classe social, falta ainda aprender a não usar a literatura como forma disfarçada de preconceito. Falta aceitar e entender leituras e leitores diferentes de nós.

Luiz Schwarcz, trechos de Autoajuda de longo prazo.
Para ler o texto completo, aqui.

Fonte: Hillé, Twitter.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s