Cafarnaum

Cinema

Desde a adolescência, eu escolho um filme ou o episódio especial de alguma série para assistir no dia do meu aniversário. Antes eu ia à locadora, hoje eu passeio pelas plataformas de streaming.

Fiz aniversário mês passado e o meu escolhido da vez foi Cafarnaum (2018), dirigido pela Nadine Labaki. O filme conta a história do menino Zain, que resolve processar os pais por ter nascido.

A sua decisão não é aleatória, ele sofre violência constantemente. Isso não tem a ver com a pobreza da família, temos uma outra história semelhante como contraponto. Sim, as necessidades básicas de uma criança passam diretamente pelas condições financeiras, mas cuidado, amor, afeto e segurança também são a base da formação de qualquer criança.

O filme é triste, mas carrega uma beleza singular. A força motriz do filme é o protagonista e a cena final é uma delicadeza. Difícil não chorar.

Cafarnaum (2018) está disponível na Amazon Prime.

Trailer legendado do filme Cafarnaum (2018), Nadine Labaki.

Lídia

Literatura, Música

A faixa “Lídia” faz parte do álbum O baile das andorinhas, de Letícia Persiles. É a narração de um trecho adaptado do capítulo “A presença feminina no cangaço”, do livro Maria Bonita, de Antônio Amaury Corrêa de Araújo.

Neste primeiro vídeo, Letícia Persiles conta sobre o livro, a criação desta faixa e outras informações sobre Lídia.

Neste segundo vídeo, a faixa “Lídia” completa. É de uma imensa beleza, e tristeza.

O álbum O baile das andorinhas pode ser ouvido completo no Spotify, aqui.

Neste mundo louco, nesta noite brilhante

Teatro

Escrita pela dramaturga Silvia Gomez e produzida pelo Grupo 3 de Teatro, a peça Neste mundo louco, nesta noite brilhante protagonizada por Yara de Novaes e Débora Falabella se transformou em uma websérie de cinco episódios para comemorar os 15 anos do grupo. Em vez da peça filmada diretamente do palco, essa produção foi realizada em estúdio, com algumas cenas externas, além de trechos de ensaios e entrevistas com mulheres incríveis ao final de cada episódio. Parte integrante da programação “Palco Virtual”, do Itaú Cultural, essa websérie foi publicada ao longo de cinco semanas, e agora já está completa.

Cena de Neste mundo louco, nesta noite brilhante. Foto: João Caldas/Divulgação.

Ano passado, eu quis muito assistir a essa peça, muito mesmo. Infelizmente, não consegui. Fiquei bem feliz ao saber que poderia assisti-la, mesmo que de uma outra forma. Não é preciso dizer que já assisti aos cinco episódios, gostei demais como fizeram essa adaptação do palco para o audiovisual. E o final me emocionou de uma maneira difícil de explicar.

Não sei por quanto tempo a websérie ficará disponível, sendo assim, é melhor assistir o quanto antes.

Episódio 1, aqui.
Episódio 2, aqui.
Episódio 3, aqui.
Episódio 4, aqui.
Episódio 5, aqui.

*

Bônus: na primeira edição da revista Maldita, há uma ótima entrevista com a autora da peça, Silvia Gomez. Para ler, aqui.

“Ama”, de Julie Gautier

Dança

Inspirada pelas japonesas que coletam pérolas no mar, a cineasta e mergulhadora Julie Gautier é a protagonista desta obra, em que dança a 10 metros de profundidade sem qualquer equipamento para respirar. Foram vários mergulhos curtos até completar a duração do vídeo, de seis minutos. A coreografia é de Ophélie Longuet. O resultado é arrasador, eu fiquei imensamente emocionada.

Para assistir ao making off, aqui.
Em 2020, foi lançada uma versão com outra música. Para assistir, aqui.
Para saber mais, aqui.

Ama (2018), de Julie Gautier