Ainda cabe sonhar

Teatro

“Bordar, num pano de linho
Um poema tambor que desperte o vizinho.
Pintar, no asfalto e no rosto
Um poema alvoroço que amanhece cidade.
Dançar com tamancos na praça
Cantar, porque um grito já não basta
Esfarrapados, banguelas,
Meninos de rua, poetas, babás.
Vistam seus trapos, abram os teatros,
É hora de começar:
Alerta, desperta, ainda cabe sonhar.
Alerta, desperta, ainda cabe sonhar.”

“Ainda cabe sonhar”, Cantata para um bastidor de utopias, Cia do Tijolo.

As músicas do espetáculo, aqui.
O espetáculo, aqui.